domingo, 24 de abril de 2011

TOTAL(MENTE) :






+Total(mente) !
Nas profundezas do sheol




+De repente,
pensei ter visto um morpheu



+ Existente,
porém, o nada; só eu e o breu
A vida andou calada, a alma faleceu






+ Inconsciente !
Traçei a estrada; eu, afastada do sol







+ Finalmente !
Veio a penada, presente à malograda
É então chegada, a pena ao moratório

e eis-me chocada, com a cena ao purgatório !






+ Quebrantada !
Dúzia a cilada. É tão multifurcada..
É sim fim cada. Mas dúbia a cruzada ...






+ Esmagada !
Eu queria ver o céu, do real fui em prol,
Mas me vi só; esmagada por um zimbório








+ Tomando o fel !
Do território onde o caos é elevatório
Indo ao léu, buscando um oráculo
E não ouvindo algo notório
delirei, vendo um filme ilusório
de entrada irrestrita a um tabernáculo.














Eu.

..

2 comentários:

Fábio Zawatsky disse...

cada parte é uma poesia só! como total e mente! adorei! (li isso ounvido john lennon, berrando no meu toca-disco).

Gauche gauchíta disse...

Huahuahau!
Q legal !!!
Múltiplos sentidos tb...
Tão bom escrever né?! Só o tempo q é meio difícil msm hehe